Leonardo Magalhães || Portfolio

Blog

E-mail de Elon Musk é uma lição poderosa em liderança autêntica e sincera

E-mail de Elon Musk é uma lição poderosa em liderança autêntica e sincera

E-mail de Elon Musk é uma lição poderosa em liderança autêntica e sincera




Elon Reeve Musk é um empreendedor, filantropo e visionário. Ele é o fundador, CEO, e CTO da SpaceX, co-fundador e CEO da Tesla Motors, vice-presidente da OpenAI, fundador e CEO da Neuralink e co-fundador e presidente da Solar City.

Daniel Coyle, o autor livro que será lançado em breve The Culture Code: The Secrets of Highly Successful Groups, entrou em diversas organizações como Pixar, San Antonio Spurs e SEAL Team Six para descobrir como diversos grupos aprendem a funcionar com uma única mente. Segundo Daniel, a boa liderança é sobre ter bons reflexos, especialmente em momentos de crise.

Quando há um problema em um grupo, a maioria dos líderes tende a responder protegendo o grupo: deixar as pessoas saberem que está tudo bem e colocar o problema em uma perspectiva mais ampla. Eles se esforçam para enviar um sinal de tranquilidade: isso não é grande coisa; podemos passar por isso. Mas essa é a resposta mais inteligente? Considere este recente e-mail do CEO da Tesla, Elon Musk, que captura sua resposta a uma crise específica: um relatório que mostrou que as taxas de lesões na fábrica de Fremont de Tesla era perigosamente alto.

Aqui está a parte fundamental do e-mail de Musk:

“Não há palavras que possam expressar o quanto eu me preocupo com a sua segurança e bem estar. Meu coração fica partido quando alguém se fere construindo carros e tentando dar seu melhor para fazer o sucesso da Tesla.

A partir de agora, eu pedi que qualquer acidente desse tipo fosse reportado diretamente a mim, sem exceção. Vou me encontrar com a equipe responsável pela segurança a cada semana e gostaria de encontrar cada pessoa ferida tão logo esteja bem, para que eu possa ouvi-los e entender o que exatamente precisamos fazer para melhorar o processo. Eu irei então até a linha de produção para realizar a mesma tarefa dessas pessoas.

É isto que todos os gerentes da Tesla deveriam fazer, aliás. Na Tesla, nós lideramos a partir da linha de frente, não de alguma torre de marfim confortável e segura. Gerentes precisam colocar sempre a segurança de sua equipe acima da sua própria.”

Elon Musk não tenta proteger o grupo ou minimizar o problema. Ele se conecta com seus colaboradores através de três sinais:

- Ele expressa um intenso pesar pessoal (“Isso me deixa muito chateado”).

- Ele demonstra uma ação atenciosa (“Eu pedi que todas as lesões fossem relatadas para mim … Eu gostaria de conhecer todas as pessoas feridas … Vou realizar a tarefa que realizam”).

- Ele define a identidade da cultura (“Na Tesla, lideramos da linha de frente, não de uma torre de marfim segura e confortável”).

Musk prova que a liderança cultural não se trata de proteção – trata-se de conexão.

 

Voltar para o blog